Apressando o enterro

Capa The Hack.gif
 

Você se lembra que, no comecinho de outubro, a Gigante das Buscas anunciou que fecharia o Google+ após encontrar uma falha de segurança que expôs dados de um número não-específico de usuários? Pois bem. O processo deveria ser gradual e demoraria dez meses; porém, na segunda-feira passada (10), a companhia avisou que seus planos mudaram e a rede social será encerrada já em abril. A causa? Ela acaba de descobrir uma segunda brecha que impactou nada menos do que 52,5 milhões de internautas.

O vazamento não foi público, mas expôs informações sensíveis como nome, email, profissão e idade para desenvolvedores internos e programadores de apps que se integram à plataforma — por conta disso, a API do G+ será desligada emergencialmente dentro dos próximos 90 dias. Como sempre, a empresa afirma que não há indícios de que a falha tenha sido utilizada de forma indevida por agentes maliciosos, mas é impossível não ficar com uma pulga atrás da orelha quando esse tipo de incidente acontece.

“Com a descoberta desse novo bug, nós decidimos agilizar o encerramento de todas as APIs do Google+. Isso ocorrerá dentro dos próximos 90 dias. Além disso, também decidimos antecipar o desligamento do Google+ para consumidores de agosto de 2019 para abril de 2019. Reconhecemos que isso trará implicações para os desenvolvedores, mas queremos proteger nossos usuários”, explicou David Thacker, vice-presidente de gerenciamento de projetos da rede social.

É interessante ressaltar aqui que a Google continua usando o termo “para consumidores” em seus materiais de comunicação oficial, o que pode indicar que a Gigante das Buscas realmente pretende transformar o G+ em uma espécie de plataforma de comunicação corporativa — talvez reaproveitando o conceito dos “Círculos” para possibilitar a criação de um workspace separado por departamentos. Bom, vejamos o que nos espera.


While you were sleeping...

  • A Virgin Galactic, subsidiária da Virgin Group, conseguiu chegar à borda do espaço pela primeira vez utilizando sua nave SpaceShipTwo (VSS Unity). Um pequeno passo para a empresa, um grande passo para viagens espaciais comerciais.

  • Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei, foi presa no Canadá a mando dos EUA e pode pegar 30 anos de prisão sob a acusação de violar sanções impostas à empresa contra o Irã, comercializando equipamentos para o país em questão.

  • Evelyn Berezin, inventora do Data Secretary — considerado o primeiro processador de textos do mundo — faleceu aos 93 anos. O invento da norte-americana empregava partes de uma máquina de escrever da IBM.

  • O Facebook foi multado em 10 milhões de euros na Itália por “não deixar bem claro aos seus internautas o modo como o qual a rede social faz dinheiro utilizando os dados dos usuários”. Ouch.

 
 
 

GOSTOU?

Se inscreva e receba nossa newsletter com mais conteúdos bacanas como este.

COMPARTILHa com a galera.