Bezos vs. sauditas

giphy.gif
 

A última semana foi um tanto agitada, e tudo por conta de uma revelação bombástica feita por Gavin De Becker, chefe de segurança pessoal do bilionário Jeff Bezos. De acordo com Becker, o fundador da Amazon e atual diretor do The Washington Post teve seu celular invadido por hackers da Arábia Saudita, que conseguiram extrair fotos, arquivos e informações sensíveis. Tal conclusão é o resultado de várias semanas de uma intensa investigação ordenada pelo próprio ricaço.

Toda essa história começou lá em fevereiro, quando o jornal National Enquirer, comandado pela editora American Media Inc. (AMI), publicou uma reportagem exclusiva afirmando que o empreendedor estava tendo um caso extraconjugal com a jornalista Lauren Sánchez. Investigações primárias resultaram na conclusão de que a fonte para tal furo teria sido o próprio irmão de Lauren, Michael Sánchez. Porém, essa história “simpleszinha” não convenceu Becker e Bezos, que continuaram com uma pulga atrás da orelha.

O cenário ficou ainda mais suspeito depois de que a AMI emitiu uma carta à Bezos solicitando que ele se pronunciasse publicamente afirmando que o National Enquirer não havia usado “qualquer forma de escuta eletrônica ou hacking em seu processo de apuração”; caso contrário, fotos íntimas trocadas entre ele e sua amante seriam divulgadas. O homem mais rico do mundo não apenas se recusou a aceitar a oferta, como também ordenou que Becker gastasse “o quanto for necessário” para descobrir a verdade.

Well, a verdade finalmente veio à tona. O smartphone de Bezos foi hackeado por agentes saudistas, possivelmente como uma revanche política — afinal, o The Washington Post tinha como um de seus principais colunistas o jornalista Jamal Khashoggi, que foi morto em outubro de 2018 na Turquia por ordens do príncipe saudita Mohammed bin Salman. É natural que as investigações e acusações publicadas agressivamente pelo TWP tenham incomodado o governo árabe, que resolveu dar o troco diretamente em Bezos.

Por enquanto, nenhum dos lados dessa história se pronunciou sobre o assunto; porém, o caso já causa discussões interessantes sobre a responsabilidade do governo norte-americano em proteger seus cidadãos e empresas contra ataques de hackers estatais. Afinal, agora temos a constatação de que nem o homem mais rico do mundo consegue fugir de ameaças cibernéticas — um cenário um tanto assustador e que nos faz temer ainda mais uma possível ciberguerra em um futuro próximo.


While you were sleeping...

  • A CloudFlare anunciou que irá adicionar, em breve, um serviço de VPN gratuito para o aplicativo oficial de seu DNS 1.1.1.1. Por enquanto, os usuários do software podem se inscrever para uma fila de espera para testar a novidade em breve.

  • O Brasil acaba de ganhar sua primeira operadora focada em comunicação entre máquinas (M2M) e IoT: estamos falando da Next Level Telecom (NLT), que vai usar a infraestrutura da Vivo para atender mais de 4,4 mil municípios.

  • A Hack The Box, plataforma britânica que conecta empresas e hackers que queiram aprimorar suas habilidades de pentesting, anunciou que investirá US$ 1,3 milhões para expandir sua atuação e virar a maior plataforma de hacking do mundo.

 
 
 

GOSTOU?

Se inscreva e receba nossa newsletter com mais conteúdos bacanas como este.

COMPARTILHa com a galera.