Read, hack, repeat

Brave passa vergonha após “forçar” usuários a acessar links afiliados

Ramon de Souza 0 min

O Brave, navegador baseado no projeto Chromium que fez fama com sua proposta de proteger a privacidade do internauta, passou vergonha nos últimos dias depois que alguns de seus usuários perceberam que o software estava “forçando-os” a acessar um link afiliado para a exchange de criptomoedas Binance. Ao digitar “binance.us” na barra de endereço do browser, seu recurso de autocompletar automaticamente preenchia o resto da URL com o código comissionado “/en?ref=35089877”.

Isso significa que muitos clientes, sem perceber, realizaram serviços diversos na casa de câmbio digital e acabaram dando dinheiro em forma de comissão à equipe do Brave. As primeiras reclamações surgiram no Twitter, com destaque para os tweets inflamados do usuário Cryptonator1337, especialista em criptomoedas. Um dia após as queixas iniciais, o navegador emitiu uma atualização que possibilita desabilitar as “sugestões” de autocompletar e prometeu desligar tal recurso de forma nativa na próxima build.

“O padrão do autocompletar foi inspirado pela atribuição da query de busca clientid que todos os navegadores usam, mas diferente de queries de palavras-chaves, uma URL digitada deve ir ao domínio nomeado, sem quaisquer adições”, afirmou Brendan Eich, CEO da Brave e cofundador da Mozilla.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que o Brave cria polêmicas com suas maneiras um tanto “criativas” de ganhar dinheiro. Em abril do ano passado, noticiamos que o navegador havia inaugurado um programa no qual o próprio usuário pode aceitar ver anúncios “seguros” ganhar uma comissão sobre os lucros da campanha. Embora a ideia seja interessante, na época, muitos criticaram o software por lançar tal programa após construir uma sólida base de usuários se autopromovendo por bloquear anúncios, rastreadores e scripts maliciosos de fábrica.

O executivo reforça que, de fato, o Brave está “tentando construir um negócio viável” e procurando outras formas de monetização. “Isso inclui trazer novos usuários para a Binance e outras exchanges com opt-in de widgets de câmbio/outras experiências de usuários que preservam a privacidade acima do opt-in”, explica. Ao ver que a explicação não convenceu os internautas furiosos, Brendan reforça: “Desculpe pelo erro — nós claramente não somos perfeitos, mas corrigimos as coisas rapidamente. Nós nunca mais vamos revisar domínios digitados novamente, eu prometo”.


Fonte: Engadget

Compartilhar twitter/ facebook/ Copiar link
Você se inscreveu com sucesso no The Hack
Bem vindo de Volta!
Massa! Você se registrou com sucesso.
Sucess! Sua conta está completamente ativada.