Brincadeira controversa

capa the hack.gif
 

Se você (ainda) utiliza o Facebook, é bem provável que sua timeline esteja cheia de pessoas se divertindo com aquilo que ficou conhecido como #10YearsChallenge. Trata-se, aparentemente, de mais uma corrente boba da rede social, que incentiva os usuários a postar duas fotos — uma atual e outra de dez anos atrás — com a dita hashtag, mostrando aos seus amigos os efeitos de envelhecimento. O problema é: essa nova modinha anda causando muita polêmica por aí, e não é por menos.

A primeira pessoa a acender uma luz sob o #10YearsChallenge foi a jornalista Kate O’Neill, da Wired. Em um longo artigo, Kate disserta sobre a possibilidade da corrente ter sido uma criação do próprio Facebook para treinar seu algoritmo de reconhecimento facial, ensinando-a a lidar com progressão de idade e fazendo com que ela aprenda a adivinhar como será a aparência de um indivíduo no futuro — no caso, em dez anos. Algo que poderia ser usado para finalidades, digamos, nada agradáveis.

Claro, muitas pessoas possuem fotos de perfil antigas, mas é bem mais fácil realizar esse “treinamento” quando existe uma hashtag especial para reunir esse material — a quantidade de “lixo” (como pessoas que postaram sátiras do desafio, publicando fotos de seu gato de estimação, por exemplo) pode facilmente ser eliminada pelos próprios algoritmos.

Por mais que Kate deixe claro que essa é apenas uma possibilidade remota, não demorou muito que muitas pessoas passassem a afirmar, com certeza, de que o #10YearsChallenge é uma estratégia do Facebook para criar um banco de dados cada vez mais inteligente de reconhecimento facial. Como sempre, um pânico generalizado se instaurou dentro da comunidade de segurança.

Porém, especialistas estão céticos sobre o assunto. Em entrevista à The Hack, Evandro Barros, CEO da Data H (empresa especializada em inteligência artificial), informou que não há como saber as reais intenções do Facebook. “Se fosse pra treinar um algoritmo de envelhecimento, porque fazer deste modo se há maneiras bem mais práticas para isso?”, questionou o executivo.

Em resposta à toda essa polêmica, a rede social emitiu uma nota afirmando que “o desafio de 10 anos é um meme criado pelos usuários que começou por conta própria, sem o nosso envolvimento. É uma prova da diversão que as pessoas têm no Facebook, e só”. A plataforma relembra ainda que os usuários podem ligar e desligar o reconhecimento facial a qualquer momento. De qualquer forma, estamos falando de uma rede social que já anda com a confiança pública abalada; logo, por via das dúvidas, é melhor tomar cuidado com esse tipo de “brincadeira”.


While you were sleeping...

  • O Partido Social Liberal (PSL) viajou para a China no intuito de conhecer melhor e — possivelmente — trazer para o Brasil a tecnologia de reconhecimento facial utilizada lá por órgãos de segurança pública. Agora sim teremos um Big Brother Brasil.

  • Fraudadores foram detidos após usar senhas de servidores públicos para alterar informações no sistema do Detran, editando dados como nome de proprietários de carros, existências de multas e numerações de chassis.

  • Um hacker atacou a criptomoeda Ethereum Classic (ETC) e roubou cerca de US$ 100 mil em tokens. Pouco tempo depois, o “criminoso” devolveu a quantia — sem explicar o motivo para tal atitude bizarra.

  • A Netflix pode implementar, em breve, um sistema inteligente capaz de detectar o compartilhamento de senhas. A tecnologia foi desenvolvida pela Synamedia, que afirma que tal prática causa muitos prejuízos às empresas de streaming

 
 
 

GOSTOU?

Se inscreva e receba nossa newsletter com mais conteúdos bacanas como este.

COMPARTILHa com a galera.