Google+ is dead; long live Google+

TH 27 GIF.gif
 

Agora é oficial. Por mais que você possivelmente já cometesse bullying contra aquele amiguinho que insiste em usar o Google+, desta vez, a própria Gigante das Buscas está declarando a morte da rede social. Mas a inatividade do serviço não foi o principal motivo para tal decisão, e sim o fato de que a empresa encontrou uma brecha na plataforma que expôs dados sensíveis de 500 mil usuários.

A vulnerabilidade em questão não foi comentada em detalhes, mas a companhia afirma tê-la encontrado no mês de março durante uma auditoria interna. Tal falha permitia a exposição de nome, email, profissão, gênero e idade; porém, a Google afirma que não há indícios de que tais informações tenham sido usadas indevidamente, e usou tal fato como desculpa para não ter alertado a população sobre o bug antes.

Esse golpe na moral da rede social, aliado ao fato de que — de acordo com a própria empresa — 90% de suas sessões duram menos de cinco segundos, acabou culminando em sua morte. A empresa alertou que iniciará um lento processo para fechar a plataforma, permitindo que os internautas façam backup de seus dados; a ideia é que o site saia do ar de vez em agosto do ano que vem.

Vale a pena observar, porém, que a Gigante das Buscas refere-se apenas à “versão para consumidores” do Google+, citando uma significativa popularidade da rede social no meio corporativo. Sendo assim, não ficaremos surpresos caso a plataforma renasça como uma ferramenta exclusiva do G Suite para comunicação profissional, por exemplo.

Enquanto isso, a companhia já recebe suas primeiras notificações judiciais dos órgãos de proteção de dados — a Alemanha foi a primeira a sinalizar uma investigação sobre o caso. O Ministério Público também abriu um inquérito para apurar os impactos da vulnerabilidade para os brasileiros e eventuais responsabilidades da Google em nosso país.


While you were sleeping...

  • O Bloomberg continua insistindo que a China está espionando os EUA através de microchips implantados em servidores; a NSA diz que o jornal está viajando.

  • Especialistas emitiram um alerta a respeito de um novo script de cryptojacking que se mascara como uma atualização do Adobe Flash Player.

  • A polícia italiana finalmente conseguiu encontrar e prender o hacker que desfigurou sites da NASA em 2013.

 
 
 

GOSTOU?

Se inscreva e receba nossa newsletter com mais conteúdos bacanas como este.

COMPARTILHa com a galera.