Rússia x EUA: O Retorno

Capa The Hack.gif
 

No mais novo capítulo da Guerra Fria Cibernética entre os Estados Unidos e a Rússia, o promotor Robert Mueller, ex-FBI, registrou formalmente acusações contra 12 oficiais russos de terem hackeado o comitê do Partido Democrata no calor das eleições presidenciais de 2016. As denúncias, divulgadas poucos dias antes do encontro de Donald Trump e Vladimir Putin em Helsinque (Finlândia), faz parte de uma ampla investigação que visa descobrir qual foi a real interferência da inteligência russa nas campanhas de dois anos atrás.

A principal suspeita de Mueller é que possa ter existido um conluio entre Trump e Putin para mudar os rumos das eleições (#babado), visto que o presidente republicano poderia estabelecer uma relação bem mais diplomática com o país eurasiático do que a candidata democrata, Hillary Clinton — cuja imagem foi gravemente afetada com a divulgação de alguns emails de seu partido em novembro de 2016. Há indícios, inclusive, de que Trump estaria tentando barrar o inquérito, que agora passará a investigar os 12 acusados.

No meio de uma chuva de críticas (após um encontro repleto de elogios ao governo de Trump e afrontas às conclusões da inteligência de seu próprio país), Trump reconheceu publicamente, mas de forma tímida, que a Rússia pode sim ter causado alguma interferência na ocasião.

Em tempo, a Microsoft anunciou na quinta-feira (19) a existência de evidências de que forças russas também estariam tentando hackear três candidatos-chave das eleições intercalares dos EUA (também chamadas de eleições de meio de mandato), que vão rolar este ano. A companhia afirma ter barrado os ataques (que envolviam páginas falsas de phishing), mas não citou o nome dos alvos e nem dos responsáveis pelas armadilhas.


While you’re sleeping...

  • A Google recebeu uma multa de US$ 5,1 bilhões em um caso antitruste iniciado pela União Europeia (o que pode significar o fim do Android gratuito como conhecemos);

  • O Ministério Público anunciou uma investigação focando no YouTube para descobrir como a plataforma de vídeos realiza o tratamento de dados de crianças;

  • O desenvolvedor do trojan de acesso remoto (remote access trojan ou RAT) Luminosity, amplamente vendido na deep web por US$ 40, foi condenado à prisão;

  • A Mozilla lançou um gerenciador de senhas próprio para o Firefox do iOS, mas, por enquanto, ele só está disponível para internautas dos EUA.

 
 
 

GOSTOU?

Se inscreva e receba nossa newsletter com mais conteúdos bacanas como este.

COMPARTILHa com a galera.