Read, hack, repeat

Por que vale a pena migrar do modelo MPLS tradicional para SD-WAN?

Ramon de Souza 0 min

Texto por Frederico Tostes, country manager da Fortinet Brasil e VP de Cloud América Latina.

Com a transição das organizações para um modelo de negócios digital, o aumento do trabalho remoto e a adoção de várias nuvens, há um impacto significativo nas topologias de rede, levando ao crescimento exponencial no número de dispositivos, usuários, banda larga, tráfego criptografado e aplicativos na nuvem em redes WANs corporativas.

Ao contrário das arquiteturas WAN tradicionais, as redes WANs definidas por software (SD-WANs) podem distribuir o tráfego a vários locais de forma dinâmica, enquanto atendem automaticamente às políticas de aplicativos em constante evolução. As SD-WANs também são agnósticas em termos de transporte e operadora, isso quer dizer que o Multiprotocol Label Switching (MPLS) de alto custo pode ser substituído por conexões mais econômicas (por exemplo, Internet e LTE), permitindo funções que economizam tempo e reduzem os custos, como a seleção do caminho mais inteligente.

Enquanto isso, os aplicativos e serviços essenciais para os negócios, como a telefonia IP, precisam operar de forma ininterrupta em ambientes de rede distribuídos. A conectividade sob demanda é essencial, principalmente para serviços sensíveis à latência, como voz e vídeo. Neste contexto, podemos comparar o surgimento da SD-WAN à popularização que a nuvem teve no mercado de TI há mais de uma década.

É por isso que as soluções SD-WAN continuam a ganhar força, e serão implantadas cada vez mais com a finalidade de facilitar a entrega de serviços gerenciados de rede e segurança. De acordo com a IDC, mais da metade das empresas que possuem a necessidade de redes de dados devem implementar alguma iniciativa de SD-WAN até o término do ano de 2020. A contínua adoção desse serviço resultará em um aumento de mais de 70% no uso de SD-WAN. Na Fortinet, por exemplo, vemos esse mercado crescer 247% ano a ano, em âmbito global.

Isso porque além dos vetores de ataque tradicionais, os cibercriminosos estão visando novos paradigmas de redes distribuídas. A SD-WAN está mudando radicalmente o cenário de redes, permitindo que as organizações adotem modelos de negócios digitais e gerenciem o crescente volume de dados e um número cada vez maior de dispositivos de usuários e IoT, que são essenciais em sua estratégia de negócios. Porém, é preciso fazer isso com segurança, pois estes novos dispositivos e novas soluções, principalmente de IoT, trazem também riscos novos aos negócios, ainda ignorados.

As soluções de segurança tradicionais tendem a ser colocadas em um único local no perímetro, mas como o perímetro deixou de ser claramente definido, a segurança precisa proteger as conexões de qualquer dispositivo em qualquer localidade e se adaptar automaticamente à infraestrutura sob demanda em constante mudança, sem prejudicar a performance da rede. Além disso, implantar soluções de segurança independentes resulta em uma visibilidade fragmentada e orquestração de política de segurança dispositivo a dispositivo. Isto acrescenta ainda mais complexidade em um contexto já desafiador.

Uma solução SD-WAN verdadeiramente eficaz deve poder ser implementada em qualquer lugar – em casa, filial, campus e em multicloud – e contém ferramentas de segurança bem integradas, com firewall de última geração e um modelo aberto de interoperabilidade e colaboração, fornecendo às empresas recursos robustos com um custo mais eficiente, simplificando e automatizando significativamente as operações e melhorando a experiência do usuário.


Compartilhar twitter/ facebook/ Copiar link
Você se inscreveu com sucesso no The Hack
Bem vindo de Volta!
Massa! Você se registrou com sucesso.
Sucess! Sua conta está completamente ativada.