Read, hack, repeat

Microsoft quer comprar TikTok até o mês de setembro

Ramon de Souza 0 min

Os rumores eram verdadeiros: neste domingo (2), a Microsoft publicou um comunicado oficial confirmando seu interesse em adquirir o TikTok, famoso aplicativo social que causa polêmicas ao redor do mundo por conta de suas origens chinesas. De acordo com a companhia, as negociações foram retomadas após uma conversa entre o CEO da marca, Satya Nadella, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Embora a Gigante de Redmond não tenha divulgado o valor proposto para a aquisição, a agência de notícias Reuters estima que a rede social asiática possa valer até US$ 50 bilhões. A Microsoft pretende finalizar o processo até o dia 15 de setembro, respeitando um prazo de 45 dias para o término das negociações estipulado pelo Comitê de Investimentos Estrangeiros dos Estados Unidos.

A companhia ressalta ainda estar de acordo com as preocupações de Trump a respeito da transação e garante que, caso a compra seja finalizada, o aplicativo passará por uma revisão de segurança completa, “provendo benefícios econômicos aos EUA”. Vale a pena ressaltar que a proposta de compra inclui os direitos de administrar as operações da rede social apenas nos EUA, no Canadá, na Austrália e na Nova Zelândia.

“Essa nova estrutura será construída sobre a experiência do TikTok que os usuários amam, ao mesmo tempo adicionando segurança de primeira classe, privacidade e proteções digitais. O modelo de operações para o serviço seria elaborado para garantir transparência aos usuários, tal como uma supervisão de segurança apropriada para os governos desses países”, explica a companhia.

(Reprodução: Windows Club)

“Dentre outras medidas, a Microsoft garantiria que todos os dados privados de cidadãos americanos no TikTok seriam transferidos e armazenados nos Estados Unidos. Na medida em que quaisquer dados atualmente armazenados ou guardados em backup fora dos EUA, a Microsoft garantiria que tais dados sejam deletados de servidores fora do país depois que eles fossem transferidos”, promete a marca.

A jogada da Microsoft, embora ousada, é um tanto inteligente. A companhia nunca teve uma presença forte no segmento de redes sociais, e adquirir o aplicativo — que está em pleno crescimento — com a promessa de torná-lo mais seguro é uma estratégia interessante para ganhar uma fatia generosa desse bolo. Na China, porém, a diretoria da ByteDance, responsável pelo TikTok, vem sendo amplamente criticada por ter “se ajoelhado” aos norte-americanos com extrema facilidade.


Fonte: Reuters, Microsoft

Compartilhar twitter/ facebook/ Copiar link
Você se inscreveu com sucesso no The Hack
Bem vindo de Volta!
Massa! Você se registrou com sucesso.
Sucess! Sua conta está completamente ativada.