Read, hack, repeat

Agora vai? TIM, Vivo e Claro apresentam proposta conjunta para comprar a Oi

Ramon de Souza 0 min

Todo mundo que a divisão de serviços de telefonia móvel da Oi passam por poucas e boas. Ficando sempre em último lugar em comparação com as outras grandes operadoras nacionais, a provedora carioca está em recuperação judicial desde 2016 e fechou o ano de 2019 com um prejuízo de R$ 9 bilhões. Por isso, não podemos nos espantar ao descobrir que, na última sexta-feira (17), a TIM, a Claro e a Telefónica Vivo apresentaram uma proposta conjunto para comprar a Oi.

Em um documento distribuído para seus investidores, as teles explicam que a proposta inclui a compra das seguintes estruturas: termos de autorização de uso de radiofrequência; base de clientes do Serviço Móvel Pessoal; direito de uso de espaço em imóveis e torres; elementos de rede móvel de acesso ou de núcleo e sistemas/plataformas. O valor proposto, porém, não foi divulgado, tal como as porcentagens de divisão da infraestrutura da Oi caso o negócio seja fechado.

Em seu documento pessoal, o grupo Telefónica afirma que “a perspectiva da Companhia é que, se concretizada, a transação agregará valor para nossos acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço. Além disso, contribuirá para o desenvolvimento e competitividade do setor de telecomunicações brasileiro”. A marca garantiu que manterá seus acionistas devidamente atualizados a respeito do assunto.

A Oi não se pronunciou sobre a proposta até o momento; porém, mesmo que a operadora carioca aceite a transação, é bem provável que a compra tenha que ser aprovada pelo Conselho de Defesa Econômica (Cade), que analisará as consequências de tal fusão em um segmento que já é altamente competitivo e oligopólico.


Fonte: Telefónica (via MinhaOperadora)

Compartilhar twitter/ facebook/ Copiar link
Você se inscreveu com sucesso no The Hack
Bem vindo de Volta!
Massa! Você se registrou com sucesso.
Sucess! Sua conta está completamente ativada.